Palestra Sobre o Programa de Mentoria com mentores e tutores voluntários.

“Estamos fazendo um conceito virar realidade”, Profª Eliana Amaral

Em palestra no Centro de Convenções (CDC), no dia 06 de março, a Pró-Reitora de Graduação, Profª Eliana Amaral, a Coordenadora da Calourada 2020, Profª Daniela Gatti e a Profª Soely Polydoro, Coordenadora do [EA]², apresentaram o Programa de Mentoria aos mentores e tutores voluntários. O objetivo de promover maior integração e adaptação dos ingressantes a vida universitária.

Para iniciar a palestra, a Profª Daniela apresentou o modelo de estrutura dessa Mentoria na Unicamp, sua organização e hierarquia dos participantes, desde os mentores, tutores, coordenações e secretarias de graduação e os órgãos ligados à PRG (Pró-Reitoria de Graduação), como o SAE, o SAPPE, o EA². Para o começo desse programa piloto foram convocados 472 alunos e 43 docentes.

Em seguida a Profª Eliana fez o uso da palavra e fez uma observação sobre o programa “Vocês vão ouvir que mentoria não é assim, que o modelo não é esse. Existem modelos e modelos, e nós não estamos seguindo um modelo, estamos fazendo um conceito virar realidade”.

Alguns ouvintes da palestra foram convidados a contar seus contatos prévios com algum outro programa de mentoria. Uma aluna do curso de Licenciatura Integrada Química/Física, conta que em seu curso há uma matéria ministrada pela Coordenadora do Curso que busca criar um espaço de conversa, onde os alunos trazem assuntos pertinentes ao curso semanalmente.

As Coordenadoras do curso de Linguística do IEL Profª Lívia e Profª Débora, que serão tutoras, contam que no Instituto já existe uma prática de “amadrinhar” os ingressantes e que consideram importante o apoio institucional.

“A dimensão do meu mundo mudou absurdamente”

A Profª Soely tem seu discurso voltado sobre a transição para o ensino superior, os seus maiores marcos, o ingresso e a formatura. E propõe um questionamento para começar: “Pense no início do seu curso. Quais eram os seus sentimentos? Quais eram as expectativas?”. Espera que essa reflexão possa servir de ponto norteador para os mentores com seus mentorados, e também dos tutores com os mentores.

É um momento em que se sente orgulho de ter entrado em uma Universidade que queria, curiosidade sobre seu funcionamento e também de grande idealização e essas características podem trazer com a tempo, estresse, ansiedade e dificuldade no enfrentamento dessa demanda. Pode também ocorrer, como é conhecido na literatura portuguesa, um ‘nevoeiro acadêmico inicial’, onde na rotina diária começa a se questionar sobre suas capacidades, comparando com outros períodos da vida. Para ajudar a criar um bem-estar na Faculdade foi lançado um guia, que pode ser acessado aqui.

As dificuldades também se aplicam de diversas formas que não apenas acadêmicas, como a localização no espaço físico, nas regras e normas da Universidade, estar morando sozinho pela primeira vez, se sentir sozinho. Por isso esse programa de mentoria tem a proposta de integração dos alunos e os laços entre eles. E em uma fala de um aluno citada pela Profª Soely “A dimensão do meu mundo mudou absurdamente.”

 

Para saber mais sobre o Programa de Mentoria acesse aqui.

Texto: Giovana Lima, com supervisão Profª Daniela Gatti
Fotos: Geórgia Martins e João Marques